Notícias
31/05/2021

Ato público reforça luta contra política genocida do governo federal



Cerca de cinco mil pessoas foram às ruas de Aracaju, no último dia 29, como parte do grande ato nacional pedindo a saída de Bolsonaro do poder e o fim da política genocida, que vem destruindo a nação brasileira com a Covid-19, a fome e a miséria.

Sem aglomerações, andando em filas, pessoas de todas as classes sociais, de diversas categorias profissionais, estudantes, entidades e movimentos sociais seguiram do mercado central até a avenida Visconde de Maracaju entoando palavras de ordem e lembrando que, para essa tragédia, existe um culpado.

As músicas ‘Barões da Rachadinha feat. Bolsomorte’ e ‘Seu comércio tá fechado’, produzidas pelo Sinasefe Sergipe, deram o tom da caminhada e garantiram o fôlego de todos, tornando-se os hinos do ato. O Sinasefe Sergipe também distribuiu máscaras PFF2.

“Foi um ato lindo, pacífico, ordeiro, organizado, com distanciamento social e distribuição de máscara PFF2 e álcool para os participantes. Ao longo de todo o percurso, percebi a preocupação dos organizadores em manterem as filas e as distâncias para que tudo transcorresse bem. Vi, também, ao longo da caminhada, o apoio das pessoas, o apelo para que seguíssemos na luta, pois há um clamor geral por mais dignidade, por direito e vacinas. Ao mesmo tempo, isso me encheu de ânimo e esperança de que somos capazes de lutar, mesmo com medo, mesmo diante da pandemia, pois temos o princípio da justiça social vivo e pulsante. Quem é da educação pública segue firme!”, disse Jô Oliveira, servidora do IFS Campus Estância.

“Vamos continuar lutando pelas nossas vidas e pela honra dos que se foram por conta da irresponsabilidade e da política de morte desse governo. Vamos continuar lutando e cada vez mais fortes”, José Correia Neto, membro da Comissão Gestora do Sinasefe Sergipe e que participou das reuniões unificadas para a construção do #29M .

“A sensação de segurança foi muito grande, mesmo com a grande quantidade de gente, porque foi muito organizado, as pessoas respeitaram o distanciamento, usaram máscara e álcool. E a grande quantidade de gente prova que a revolta é maior que o medo e que a vontade de mudar e salvar vidas é maior do que o medo, porque este desgoverno está matando mais do que o vírus, jogando brasileiros e brasileiras na fome e na miséria”, disse Rafael Oliva, servidor do IFS Campus Aracaju.

“E fico feliz de nossas músicas terem dado o tom e a animação necessários ao ato. Sigamos lutando, com força e energia”, complementou Rafael, que é um dos autores das músicas.

Outros atos virão, porque a luta pela vida não pode parar. “A gente está vivo, mesmo com medo”, reforçou Jô.

Clique e baixe as músicas que se tornaram o hino da luta contra esse desgoverno.

Barões da Rachadinha feat. Bolsomorte 

Seu comércio tá fechado 

GALERIA

Gostou? Compartilhe a nossa luta!